Newsletter

Inscreva-se para receber o informativo pelo e-mail.


  • Estão abertas as inscrições para o curso gratuito “Ecogastronomia e Comunicação digital”
    Entre os dias 05 de fevereiro a 10 de março estão abertas as inscrições para o curso gratuito “Ecogastronomia e Comunicação Digital”. No curso o aluno vai aprender sobre comida como prática cultural e sobre a influência da industrialização na alimentação. Será abordado o conceito de Ecogastronomia criado em resposta a essas mudanças, visando a prática dos sistemas alimentares sustentáveis na gastronomia. Além disso, o inscrito irá aprender sobre comunicação no ambiente digital. O curso é gratuito e acontece com atividades remotas e aulas ao vivo pela internet na plataforma EAD – Unimontes. As aulas acontecerão quarta-feira às 19h30 a… Ler mais: Estão abertas as inscrições para o curso gratuito “Ecogastronomia e Comunicação digital”
  • Alimentação, sua ascendência e três facetas
    por Eduardo Prachedes Queiroz Debruçado sobre a bancada, mordendo um pedaço delicioso de cocada, Armando escuta os comentários de uma cliente esporádica: – Por mim, se desse pra simplesmente tomar meia dúzia de pílulas que dessem conta de todas as minhas necessidades nutricionais… tava ótimo! Comer dá trabalho! Gasta um tempo precioso! Indignada com o absurdo que acabara de escutar, a cocada que se encaminhava para o esôfago depois de passar pela boca de Armando resolveu voltar para reclamar pessoalmente – ou cocadalmente – com a humana. Esticou duas tirinhas de coco para coçar a garganta do homem, fazendo-o tossir… Ler mais: Alimentação, sua ascendência e três facetas
  • Cyberaxé: outros espaços do Candomblé
    por Luiz Fábio Pinheiro Lima& Jessica Santana Silveira Dias O Candomblé é uma religião afro-brasileira, derivada de cultos tradicionais africanos, que atualmente se encontra espalhada por todo o Brasil e possui como uma das características principais a crença no transe provocado por divindades chamadas genericamente de N’Kisse, Vodun ou Orixá, dependendo da nação ao qual pertence – Jeje, Nagô ou Angola. As divindades possuem uma força, uma energia, uma ancestralidade que, tanto no Brasil como na África, são incorporadas e manipuladas pelo sacerdote ou sacerdotisa por meio de invocações, cantos, rituais e sacrifícios. Os ancestrais se manifestam em rituais e… Ler mais: Cyberaxé: outros espaços do Candomblé
  • Uma história que não começou com a escravização
    O Projeto e Grupo de Pesquisa “Culturas Alimentares Digitais” tem a honra de ir (virtualmente, claro!) até Itacaré (BA) para conversar com Renata Sirimaco, a co-criadora do Auêra Gastronomia, empresa socioambiental que oferece consultorias e cursos sobre as plantas da negritude e cozinhas afro-brasileiras.Bióloga e etnobotânica, Renata conversa conosco sobre as plantas comestíveis afro-brasileiras, tecnologias digitais e ancestralidade. Para ela, ancestralidade é uma força, uma escolha, mas também a compreensão histórica de onde viemos, o que nos sustenta e o que nos guia. 1. Como surgiu e o que consiste o Auêra? Co-criei o Auêra em 2017 e, no início,… Ler mais: Uma história que não começou com a escravização
  • SLAM*
    Escrito por Afrolíricas1 Na ponta do nariz atento e surpreso,Me cutuca e ponteia curiosamenteum cheiro acanelado,Conforto e afeto acolhema lembrança de quemcome bolin de chuvadepois de brincar o dia inteiro na rua.Meu corpo ancestral abrigaum império de mulheresAquelas, não ditas nas históriasAs semeadeiras, que fertilizaramessa terra e pariram trajetórias.São peitos cheios, quealimentam essa naçãoNa força do mandacaru,no feitiço do cansanção.É muito conservantepara pouca embalagemse é que me entende?Quer falar de agroecologia pra gente?QUE VÊM DA QUEBRADA,USA OS TALOS E NÃODESPERDIÇA AS FOLHASCês não sabe sevirar com muito,e nós aqui com pouco,Fazendo sobremesa comchuchu, rapadura e coco.Açucarado e meladoQuente doce e… Ler mais: SLAM*